bingo!!!!!!!!!!! jogue e divirta-se

o melhor cassino da internet...

que achou dessas histórias???

quarta-feira, 30 de junho de 2010

LENDAS E VERDADES.....


Existe muitas histórias que se houve em garimpos., que na realidade fica dificil de saber se foi verdade ou mais uma das inumeras lendas..
assim que cheguei no Rio Madeira na decáda de 80., se falava muito de um acidente que havia acontecido no garimpo dos Periquitos., na epóca ficava em Vila Nova.,hoje Nova Mamoré.,em Rondônia..diz que em uma fofoca de balsa de mergulho(varias balsas.,uma amarrada na outra).,quando varios garimpeiros estavam mergulhando e enviando material para cima.,houve um deslizamento de um barranco...e dezesseis garimpeiros.,dentre eles uma mulher.,morreram com toneladas de terra sobre seus corpos....foi rápido.,sem tempo de nada...e seus colegas que tinha ficado em cima da balsa dando apoio., só puderam cortar e liberar as mangueiras que mandavam oxigenio....os corpos ficaram lá para o todo e sempre....
Isso é plauzivel.,pois varias foram as vezes que presenciei colegas que morreram em balsas de mergulho...um descuido pode ser fatal...estando lá em baixo., fica-se succionando o material atraves de um tubo(maraca)., e com isso cava-se burracos...e quando menos se espera o que ficou acima desbarranca..ai ja era...um mergulhador trabalha em média duas horas direto embaixo da agua..o ar é mandado por um tubo.,acoplado em cima na balsa em um compreensor de oxigenio..temos varios códigos de sinais...por exemplo se precisamos de um socorro urgente(ser puxado)., é só dar um puxão forte na mangueira...se quisermos saber se ta indo material., damos dois puxões e quem esta em cima dando apoio responde...se tiver bom dois puxões., se tiver ruim um.....e ai vai..sao varios códigos passado de garimpeiro para garimpeiro....para nós mantermos lá em baixo., usa-se um cinto de chumbo preso na cintura de mais ou menos 50 kilos...só assim a pressão da agua não nos manda de novo para a superficie...quando queremos subir., amarramos o cinto na corda de apoio e o colega puxa o cinto e a gente submerge...dificil a semana no Rio Madeira dos tempos dourados do garimpo em que não morria um ou dois colegas por queda de barreiras....
Nos seus bons tempos o rio Madeira chegava a dar em média de 1 a dois kilos de ouro a cada 24 horas de trabalho....foi sem duvida a maior mina de ouro do Brasil...não tinha a midia como era o caso de Serra Pelada.,mais tinha muito minerio....
E por falar em Serra Pelada., ali tambem tem uma lenda.,que se mistura com a realidade...era apenas uma fazenda.....fazenda serra pelada.,imaginava-se que podia ter minerio.,pois toda a area era rica.,mais emfim apenas uma fazenda....conta-se uma das inumeras lendas de como surgiu o garimpo de Serra Pelada., que dois peões foram mandados cavar alguns buracos para fazer um cerca para separar os pastos....cavaram e de repende bateram em algo duro....um ainda reclamou...poxa.,mais uma pedra pra atrapalhar..mais emfim a cerca tinha que ser ali., e foram tirar a pedra..era uma pedra diferente.,amarelada....uns dos peões que ja tinha trabalhado em garimpo falou que podia ser ouro...de pronto forma mostrar pro patrão..o padrão.,liso igual a candiru.,disse que não era nada.,apenas uma pedra diferente.,apanhou-a e guardou...lógico que ele sabia que era ouro....os peõs terminaram a empreitada e forma embora...naquela epóca a cidade mais perto era Marabá., e ali gastando seus dinheiros nos bares da cidade o que achou a pedra comentou com o pessoal...e ai pronto..a fofoca estava pronta,pois Marabá era uma cidade chave para garimpeiros que extraiam minerio no Pará...e num piscar de olhos Serra Pelada foi invadida de tal forma que só restou ao dono da fazenda pedir ajuda a policia federal e vender a area para a CEF.....e por falar em Serra Pelada.,mais duas lendas ou verdades....conta-se que um garimpeiro rodad0(sem trabalho)., chegou em um dos barrancos do garimpo e pergunto pro dono se não tinha algum reco(relavagem de cascalho) para ele fazer....o dono do barranco malcriado que só.,pegou um montinho de terra e mandou na canela do sujeito e disse:lava isso ai e ve se não da mais trabalho.,bando de rodado....e la foi o indigitado lavar aquela terra...e dentro duas pepitas de ouro, que pesada passavam de meio quilo.....é a
sorte.,amiga..madrasta dos necessitados no garimpos....
outra que se conta., é de um garimpeiro., que deu uma boa bamburrada e tinha uma namorada no Rio de Janeiro....pegou mais de tres quilos de ouro em um barranco e resolveu ir visitar a amiga...chegou em Marabá., e o ultimo voô para Brasilia.,aonde podia se embacar para o RJ.,ja tinha saido...só na outra semana....não se fez de rogado...foi na agencia da empresa aerea.,pagou em ouro o aluguel de uma aeronave que veio especialmente buscar ele...foi ao Rio de Janeiro....mando a aeronave alugada esperar..namorou a vontade e no outro dia voltou para Marabá.....
diz-se que hoje esta na fila do sopão dos necessitados em Curionópolis...mais não sei se é lenda ou realidade.....
nos próximos dias, vou escrever mais sobre lendas e realidades.....escrevendo...relembrando tempos que não volta mais...em que era feliz e não sabia.
dedico esta história de hoje aos meus amigos que estão comigo em um outro garimpo: o forum do Sportingbet...Jóa;;Bing..Wathpp...Serandre..Elton.,Parente.,Beto,Mendonça,Xgabriel,Vaz,Pinamusic,Leofauth e Beth,nossa conselheira de toda a hora....e os demais.,que se for para por o nome de todos,vai mais uma pagina..um abraço e obrigado por dividir bons e maus momentos com agente.

sexta-feira, 30 de abril de 2010

O NEGÃO DA ANTA......


Juína.,no estado do Mato Grosso., foi palco de uma grande corrida de garimpeiros na decáda de 1980...lá tinha varios garimpos de diamantes..o diamante de Juína.,não era em sua totalidade para ser usado em joías.,lá tinha mais o diamante industrial.,muito usado pelas industrias aeronauticas e outras....o que perdia em qualidade o garimpo de Juína.,ganhava em produtividade.
Ali tinhas vários garimpos.,mais dois se destacaram dos demais: o garimpo do 180 e o do arroz.
O trabalho nestes garimpos eram bem cansativos.,pois dependiam muito do esforço fisico.,quem nem sempre eram bem compensados.
Trabalhavamos por em média 15 dias.,ai pegavamos nossas comissões e iamos para "festar" na cidade....em Juína na epóca tinha muitos hoteis aonde ficavam os compradores de diamantes.
Mais uma das figuras mais "emblematica" que conheci foi o negão da anta...esse era seu nome...assim ele era conhecido...o negão da anta era um calejado e experiente garimpeiro.,porém não parava em lugar nenhum...vivia mais de reco(quando se lava um material que ja foi usado a procura de alguma sobra de garimpo)_..pois bem,o negão da anta sempre vivia rodado em Juína.,quase sempre em alto estado de embriagues fazendo ponto na rodoviária de Juína....gostava de uma mulher.,porém esta nem bola dava para ele.,devido ao seu pessímo estado,tanto financeiro como fisíco...certa vez o negão pediu a um conhecido comprador de diamante que lhe fornece vivéres.,pois ia tentar a sorte no garimpo do arroz.....era comum na epóca os compradores de diamantes fornecerem os vivéres necessários bem como o material para garimpagem.,em troca de 50./. do que fosse achado...se não achasse nada o prejuizo seria dos dois...neste dia outros compradores negaram dar a compra para o negão.,pois ja tinha perdido dinheiro com ele...porém teve um que arriscou..e la foi o negão contente e feliz atras da sorte..
no segundo dia de "reco" o negão achou uma pedra de diamante..e não era uma pedra qualquer...foi considerada umas das mais grandes e valiosas que ja foram achadas em Juína...diz o negão que quase desmaiou quando viu a "bitela"...largou tudo e voltou a Juína e foi procurar o comprador que lhe havia financiado a empreita..o comprador era uma pessoa honesta e integra., e mandou que o diamante fosse avaliado em Bruxelas.,na bolsa de diamante(fotos por fax..)..veio a avaliação e autorização de compra da mesma...e ai surgiu um pequeno problema!!!.,o negão da anta não tinha documento!!!.,só sabia do nome da cidade em que nascera na Bahia..e como dinheiro é dinheiro.,com tres dias o negão ja tava documentado e com conta aberta em banco e etc..tal....com a parte que lhe coube.,o negão comprou um hotel na cidade(hotel este que ja tinha sido enxotado várias vezes por não ter dinheiro para pagar...)...comprou um carro santana(era o top da epóca)...e é lógico!!!casou com a amada que de repente descobriu que o amor da vida dela era o negão da anta!!!!!..o sócio na pedra(comprador)...arrumou um bom administrador para o restante do dinheiro que foi aplicado em gado....á partir daquele dia o negão da anta.,passou a ser o Sr. Negão da Anta!!!!!
ai entra uma velha máxima do garimpo...."a sorte não escolhe pessoas....vem para as pessoas"..naquele dia muitos negaram ajudar o negão na compra dos vivéres..um acreditou...e este a sorte veio....

quinta-feira, 18 de março de 2010

O GARIMPO DE ESMERALDAS......



Em 1990.,conheci um dos mais importantes garimpos do Brasil...foi o garimpo de esmeraldas de Santa Terezinha de Goiais.,no interior do estado de Goiais...uma cidade bem interessante,hospitaleira.,aonde na epóca a economia gerava em torno de muitas minas de esmeralda que se espalhava pela cidade.

Ali se vivia 24 horas o ambiente de compra, venda e permutas em torno da pedra...tinha um lugar aonde se reunia os compradores e a conversa ali era só..pedras..quilates..mina e etc...vinha periodicamente pessoas da India(aonde se compra muita esmeralda)..,para conhecer o lugar e quem sabe,levar algo para lá não é???

Porém o dia a dia do garimpeiro de esmeralda não era facil...geralmente ele trabalhava para um patrão que era o dono das minas...andando pela cidade voce observava varios poços(iguais os usados para agua),,e ali se descia até 250 metros atraves de elevadores rusticos e lá era desenvolvido o trabalho..o ar era enviado por mangueiras que era gerado por compressor de ar...trabalhava-se a semana toda e no final de semana o patrão pagava o valor do trabalho semanal e dava um carrinho de xisto(que era o material aonde geralmente fica a esmeralda).,para que o garimpeiro lavasse para ele e se tivesse sorte encontra-se uma boa pedra....muitos ganharam boas quantias em dinheiros com as pedras encontradas nestes xistos....no sabado era normal ver varios garimpeiros nas "piscinas", aonde era lavado o xisto., lavando seu quinhão na esperança de uma boa pedra....e em roda desses garimpeiros os compradores.,avídos tambem por um bom lucro...e eram esses.,os compradores que sempre ficavam com o lucro maior.,pois sabiam da cotação da pedra e tambem ficavam sabendo se tinha "Indianos" na cidade...Indiano era certesa de um bom lucro.

Porém os garimpeiros sempre achavam alguma coisa.,pois trabalhando la embaixo.,sabiam aonde podiam se dar melhor levando para si o melhor xisto...

Porém meus dias de garimpo de esmeralda acabaram logo na minha chegada a Santa Terezinha de Goiais....estava perambulando pela cidade.,procurando uma vaga.,quando um "patrão" perguntou se eu queria trabalhar...disse que sim., e ele me falou que estava precisando de um trabalhador....fiquei alegre..feliz.,com a certesa de logo.,logo estar com o meu carrinho de xisto para lavar...fui feliz para o hotel aonde estava hospedado.,na certesa de outro dia ir trabalhar...porém quando soube o por que dessa vaga "saltei" longe e vazei!"!!!!!...o ultimo garimpeiro que trabalhou naquele poço.,acabava de ser enterrado no cemiterio local...motivo: estava trabalhando nas minas quando um barranco desbarrancou em cima dele...não deu tempo de sair...foi centenas de kilos de terra em cima dele...demoraram mais de um dia para tira-lo de lá...isso o "patrão" não me contou...acabava ali,prematuramente a minha hipotética carreira de garimpeiro de esmeralda......

quinta-feira, 11 de março de 2010

O AVIÃO...ALMA DE UM GARIMPO


Nos anos em que passei nos garimpos.,vi varias cenas de um dia á dia diferente de qualquer lugar..algo que nos chama á atençaõ é a necessidade que tem um garimpo de aviões e de pilotos....sem eles,o garimpo esta fadado ao fracasso.

Em cada pouso e cada decolagem é uma nova esperança que brota e a certeza que apesar das dificuldades á vida continua.

Normalmente os aviões que fazem as rotas de garimpos.,são preparados para levar o máximo que se pode de carga....tira-se os bancos, deixando apenas o do piloto.,pois o resto deve ser ocupado com carga...ali se leva de tudo...oléo combustível, gasolina, compra.,bujoões de gás., carne e de tudo o que se pode pensar...é dificil um avião de pequeno porte que pouse com menos de 400 kilos., e ao decolar não leva de 4 a 5 pessoas.,mais carotes para combustivel.,os bujoões vazios para troca e ouro...o ouro que leva para vender na cidade.

o preço de uma passagem na volta varia de garimpo para garimpo....por exemplo de São Benedito no Pará até Alta Floresta no Mato Grosso, custava na decáda de 80(grande decáda do boom dos garimpos).,custavam em média 11 gramas de ouro...de Puerto América na Bolívia até Riberalta custava em média 7 a 8 gramas de ouro.

Muitas vezes o avião é o fio de esperança entre á vida e a morte...várias vezes de eu fazer voô nos garimpos da amazônia e no mesmo avião outros garimpeiros.uns com malária.,outros acidentados e uma vez fiz um voô com um rapaz que tinha sido picado por uma cobra...foi delirando á viagem toda(aprx. 45 minutos)...

e as pistas de pouso eram outra história á parte..na maioria das vezes apenas picadas que cabia apenas o avião..os comandantes deste aviões eram verdadeiros herois..sem dúvida.,os melhores pilotos privados do Brasil estavam nos garimpos...Há perícia era importante nestes rincões...

Homenageio aqui com esta história estes herois amazônicos....em que 300 metros ja era um aeroporto e muitas vezes o rio era a salvação...

terça-feira, 9 de março de 2010

cada figura!!!!!!


o dia á dia no garimpo é corrido...acorda-se cedo e ai se vai até horas da noite..o objetivo é um só:fazer a despescada maior que puder..e é nesses momentos que conhecemos figuras exóticas e engraçadas.
a Maria.,por exemplo, era uma paraibana, garimpeira de primeirissima qualidade..braba que só vendo..por muito tempo ela foi a gerente das dragas e flutuantes do Dago e do Nílson...o Dago e o Nílson, ninguem tinha medo..mais quando o assunto era coma Maria...Deus nos acuda!!! era um tropel...se alguem gritasse ela conseguia gritar mais alto...se alguem saisse no tapa.,lá esta a paraíba no meio!!!!quando se tinha que ir buscar combustivel na barranca do rio com um flutuante, era ela que pilotava a voadeira..macho ali era coadjuvante..mais em compensação (sempre tem a compensação)..era uma mãezona para todos...quando ia para a cozinha e fazia um baião de dois., não sobrava nada na panela..cozinheira de mão cheia....por onde andará tú,Maria???..o garimpo praticamente acabou,mais as boas lembranças dos velhos tempos este não acaba.
Outra figura que ficou na lembrança., foi o cearazinho....era um garimpeiro mirrado,magrinho...porém brabo que só vendo..de certa feita.,tinha uma grande fofoca de dragas na aréa do machadinho.,ouro bom, todos ganhando dinheiro..e o fervo era grande...e ai aconteceu a trágedia...tinha dragueiros que para entrar no meio da fofoca(amontoados de dragas em uma area aonde ta dando ouro)...costumava cortar a poita de outra draga(pedra de aproximadamente 500 kilos colocadas como se fosse uma ancora para segurar a draga na correnteza)..e certa feita um grupo em uma draga foi e cortaram a poita de uma draga..e por azar era a draga do cearazinho....e ai foi ela rio Madeira abaixo.,pois a correnteza ali era super forte...luta vai, luta vem conseguiram levar a draga para a barranca do rio e amarrar com uma corta em uma arvore..e o que cortou colocou a dela no lugar da draga do cearazinho....depois que o cearazinho e seu pessoal consegui controlar a draga deles., o mesmo pegou uma voadeira., foi lá na draga que fez o estrago...subiu quieto..olhou sacou de uma pistola e matou os tres tripulantes que estavam a bordo e foram pegos de surpresa...voltou para a sua voadeira.,foi em uma flutuante aonde estavam os outros tres integrantes da draga e ai ja viu...mais tres mortos...e picou fumo no mundo...nem sinal mais do cearazinho...
Passara-se aproximadamente uns tres anos e lá estou eu no garimpo do Bonfim no Pará,quando dou de cara com o cearazinho....ele olhou para mim e perguntou: ta me conhecendo???... eu falei: sim.....e ai perguntou: lembra lá do machado????...pensei...analisei e respondi: machado???nunca tive no machado.....e graças a este pequeno subterfúgio hoje estou aqui contando esta história...pois creio que se falasse que lembrava seria mais uma cruz no coldre do revolver do cearazinho.....e assim ia o garimpo no seu dia á dia... o esperto sobrevive...o manso fica..mais o afoite e "tobó"..esse com certeza morre.....
na próxima história.,contarei de mais personagens inesqueciveis desse enredo real chamado garimpo.
um abraço.

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

a eleição.....

Quando estava la pelas bandas de Paranaíta.,sempre ficava acampado no lado de um bar que tinha na beira da balsa que ia para o rio São Benedito...o dono lá era o Airton, um paranaense que se orgulhava do lugar em que tinha vindo:Palmital do Trincas....era um orgulho lascado...qualquer coisa ja dizia: la no Palmital do Trincas não é assim...é assado e ai ia...dizia que lá se matava um e deixava outro amarrado para o outro dia e outras patacoadas mais.
Porém o Airton era um boa praça..qualquer garimpeiro que lá chegasse rodado, ele não deixava na mão...arrumava alimento e um lugar para passar a noite...e assim ia ate o dia do sujeito arrumar um serviço ou desistir e ir embora...a beira do rio(Teles Pires) era um lugar paradisiaco., um areia fina e uma prainha aonde se tomava banho e ficavamos horas a bater papo ao lado da balsa(unico meio de atravessar o rio)...ali tambem tinha muitos bichos como antas,capivaras,jacares e muita borboletas...era lindo.
Ali fora o Airton,tinha também o bar do velho Melancia.,um maranhense duro na queda.,que morava com as filhas e um genro e tocavam um bar...apesar da cara de brabo o velho Melancia era bom com todos...só emfezava quando falavam da filhas dele...ai virava uma fera....matou um garimpeiro que estava dando uns "pegas" na filha mais nova...(conto esta história em outra oportunidade)..e aos poucos ia virando um vila...
Descendo ou subindo o rio,tinha muitas dragas e balsas e o movimento era bom....certo dia o Airton resolveu que ia sair candidato a vereador...foi um alvoroço...todos arregaçaram as mangas e entramos de corpo e alma na campanha!!!!...pelos balaco baco, o Airton seria o vereador mais votado de Paranaíta...todos gostavam dele....porém....foi esquecido um pequeno detalhe:garimpeiro(que era o grosso dos eleitor do Airton), nunca tem documento e quando tem titulo ou é de outro lugar ou esta atrassado!!!!.,porém ninguem atentou para este detalhe e lá ia a campanha dia após dia...churrasco...cerveja e muita festa...
Finalmente chegou o dia da eleição....lotamos uns dois caminhões e fomos para a cidade..o Airton todo pamposo...ja era vereador eleito.....tinha a promessa de um grande almoço la na rua...
Chegando lá fomos acertando os ultimos detalhes...o velho Melancia seria o churrasqueiro., o Airton e outros ficariam correndo as seções eleitorais para ver como estava...mais faltava alguem para ficar de fiscal de urna em uma escola.....pediram para mim...e la fui eu..entrei e fui ficando...depois de uma meia hora la dentro perguntei que hora podia sair para o almoço..o fiscal da seção falou que só se sai depos das 17:00 hs,quando terminasse a eleição...rapaz!!! endoidei!!! e o almoço com churrasco do Airton, que seria o maior até então???...entrei em desespero...ai me veio uma idéia: pedi para ir ao banheiro : o chefe da seção eleitoral falou: vai rapidinho e volta...
Ta até hoje(ja se vão mais de 20 anos...)me esperando...vazei e fui para na festa do Airton.....
ao abrir as urnas: Airton da Balsa...45 votos!!!!!..não ficou nem na suplencia...ele ficou uns dias deprimido mais logo logo voltou a ser o velho Airton de sempre...porém nunca mais falou em politica!!!
assim era a barranca do Rio Teles Pires...tempos romanticos que não voltam mais..

sábado, 4 de julho de 2009

o garimpo do abacaxi

Imagino que entre os garimpos espalhados pelo Brasil.,neste seculo e no passado(XX).,o lugar aonde as fofocas foram mais "prodigiosas".,foram no estado do Pará.La surgiram grandes garimpos com muitas histórias.,aventuras e bamburros e mais do que tudo.,sonho desmoronados e blefos.
Um dos garimpos que mais foi falado e com boas histórias foi o garimpo do Abacaxi.,no rio de mesmo nome na região de Itaituba.,no Pará. La foi extraido muito ouro. O dono deste garimpo foi o folclorico Zezão do abacaxi....não tem garimpeiro neste Brasil que nunca ouviu falar do Zezão; no inicio ele era apenas um vendedor de combustivel e viverés na região de Itaiutuba., e com muito esforço e uma dose maior ainda de sorte consegui descobrir muito ouro na região do rio Abacaxi. No auge chegou a ter mais de 100 dragas la dentro., e todas controladas por ele.Além de um grande garimpeiro., o Zezão era um grande comerciante.Todo o comercio.como bares.,boates e etc..era controlado por ele. Quando um garimpeiro queria ir a uma "zona".,pegava um vale na gerencia e "festava" a noite toda.,depois quando ia fazer o acerto o vale era descontado. O Zezão tinha alguns aviões(Cesna) de pequeno porte para levar os garimpeiros de Itaiutuba para o garimpo..mais ele ficou famoso quando comprou um avião Bandeirante da Embraer, e levava quem queria ir ate o Abaxaci naquele avião. Fora o garimpo ele tinha outras aplicações como um fazenda em Itaiutuba.,que ficou famosa no tempo em que Fernando Collor era presidente da Republica.Certa vez Collor foi a Itaiutuba e o avião oficial da presidencia pousou na pista de pouso da fazenda do Zezão.,pois a mesma era maior e melhor do que o aeroporto oficial da cidade. Mais entre as verdades e lendas do velho Zezão.,a que ficou mais famosa;.foi quando ele ja "poderoso" e cheio da grana.,não depositava seu dinheiro em nenhum banco....vendo aquilo o gerente do Banco do Brasil,foi ate o escritório que o Zezão mantinha em Itaiutuba,querendo fazer a cabeça do mesmo para ele depositar seu dinheiro no BB. Zezão recebeu-o com educação e perguntou:
- no que posso ser útil?...nisso o gerente repondeu
:seu Zezão.,queria que o senhor abrisse um conta com a gente... nisso o Zezão se levantou abriu a porta e repondeu,ja perdendo a calma:
-Quando eu era pobre.,nem um "fio da Egua" vinha me oferecer conta...agora voces estão igual a urubu na carniça.....vaza fora daqui seu ....e ja foi abrindo a gaveta aonde guardava "seu shimit ingles"...fala-se que ate hoje o gerente tá correndo sem olhar para tras!!!!...
grande pessoa o Zezão...e o cara era analfabeto........
por hoje é só......homenageio o grande policial civil da cidade de Alta Floresta do Oeste=Ro., MARIVALDO com esta singela história